Orunmila Ifá

Exu o Grande Arcano.

 

Exu o Grande Arcano.

- Quem é esta misteriosa Divindade que gera tanta polêmica, e distorções de seu real significado e função, como um ser Divino e cósmico?

- Aonde começou o preconceito religioso e até cultural, acerca não só de Exú como muitas outras divindades, e religiões consideradas Pagãs?

- Aonde e como tudo começou?


Leia mais:Exu o Grande Arcano.

Culto dos Orixás uma Pratica Xamanica

 

Culto dos Orixás
uma Prática Xamânica.

Sabemos que o termo Xamã vem da Sibéria para designar a arte de promover, Equilíbrio, Harmonia e Saúde psico-fisicas, através do estado de êxtase ou da expansão da consciência, que o Xamã adquire após longos períodos de treinamentos e iniciações.

O Termo Xamanismo, também hoje em dia é utilizado para definir determinadas práticas espirituais e ritos religiosos, proto-históricos, e primitivos. Estas práticas tem em comum o culto a Natureza, e estão divididos em diversas modalidades tais como:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Xamanismo dos aborígines (índios) siberiano.

Leia mais:Culto dos Orixás uma Pratica Xamanica

Introdução a Cultura Afro-Brasileira. Parte II.

Introdução a Cultura Afro-Brasileira.

Parte II.

A história conta que nas remotas origens, Olódúmarè e Òrìsànlá estavam começando a criar o ser humano. Assim criaram Èsù, que ficou forte mais difícil que seus criadores:

"Èsù si le ju àwon mejeli lo".

Veja o que a Historia do Odù (signo) Ogbè diz quando apareceu para Orúnmìlà:

Níjó ti nlo rèé tóro omo,
Lódó Òrisà igbò-wújì.
No dia em que ele foi requerer uma criança
A Òrìsà Igbò-wúji (Òrinsàlà).

Olódùmarè enviou Èsù para viver com Òrìnsàlá; este colocou-o à entrada de sua morada e o enviava como seu representante para efetuar todos os trabalhos necessários. Foi então que Òrúnmìlà, desejoso de Ter um filho, foi pedir um a Òrìsànlá. Este lhe diz que ainda não tinha acabado o trabalho de criar seres e que deveria voltar um mês mais tarde. Òrúnmìlà insistiu, impacientou-se querendo a qualquer preço levar um filho consigo. Òrìsàlá repetiu que ainda não tinha nenhum. Então perguntou:

 

Leia mais:Introdução a Cultura Afro-Brasileira. Parte II.

Culto de Orunmila Ifá Eventos

Aworo e Babalorixa Ifawotunde Alberto Junior, Fotos da Minha Familia do Culto de Ifá.

Inauguração do Ilê Ase Osetura de meu Bababawo Julio Ifa Sola Oju Oba Omi e Ifa Yemi Sango Femi, na cidade de Marica, Rio de Janeiro.

Yalorixa Silvia Maya da Oxun, Babalawo Ifa Sola Oju Oba e eu Babalawo Ifawotunde.

 

Leia mais:Culto de Orunmila Ifá Eventos

Introdução a Cultura Afro-Brasileira. Parte I.

Introdução a Cultura Afro-Brasileira.

Parte I.

A tradição oral (secreta) nos conta que foi pôr volta de 1830 que três negras da costa, africanas por nascimento, fundarão o primeiro templo da religião Africana o Candomblé, atualmente existem quatro linhagens ou linguagem popular que chamamos de nação: Ketú, Jêje, Angola e Nagô.

A religião trazida pêlos nosso negros Africanos é de caráter Monoteísta. Há um Deus supremo, que criou todas as coisas e controla o destino do Universo.

Em África antes da chamada diáspora ou do bárbaro tráfico negreiro, com seus navios com nomes de Santos da Santa Igreja Católica. O Sacerdote Supremo iniciado no Culto do Orixá Orunmila-Ifa da Religião Africana, chamava-se: Babaláwo. Baba (O Pai) + Li (que tem) + Àwo (O Segredo) era a autoridade Máxima e Central do sistema Religioso e Cultural do povo Yorubá.

Segundo Willian Bascaon (1969):“ O Babaláwo era uma autoridade religiosa que deve ter conhecimento acerca de todas as Divindades Yorubá e não meramente daquela que ele pessoalmente reverencia (iniciado), funcionando para a massa de fiéis e também para os outros sacerdotes de Divindades Diferentes. Ele ajuda os fiéis a tratar com o amplo espectro de forças personificadas ou impessoais em que os Yorubá acreditam, e, a consumar através da Divinação Ifá, os destinos individuais que lhes forem consignados por escolha própria desde o nascimento.”

Leia mais:Introdução a Cultura Afro-Brasileira. Parte I.